Moacyr Franco

Letra de Memórias De Uma Velha Canção

Letras de Moacyr Franco

"Memórias De Uma Velha Canção"

Que me adianta esperar nascer o sol
Se há dentro de mim um vento frio.
Canto em meu violão a dor antiga
De uma velha canção nunca esquecida.
É a mesma que um dia nos uniu
Pelas praias distantes do teu velho país.
Hoje o outono ao deixar cair as folhas
Me lembra que na vida só uma vez se é feliz.

Porque não esqueço essa canção?
Será porquê tanto te amei...
Te vejo sob a luz da vela, embaçada, na janela
Pelo pranto que chorei.

Porque não esqueço essa canção,
Se o rio que vai não volta mais.
E esta saudade já doente, dançando em minha mente
Repete: Nunca mais...

La, la, la, la la la la la la...

Não é o medo da morte que me assusta,
As vezes é pior, seguir vivendo.
Nem a dor, nem teu deus, nem o castigo.
Só sinto nesta noite não estar contigo.
Mas a chama se apaga com o vento
E o vulto se perde no céu cinzento.
Entre as sombras eu fico a te esperar
Mas a canção me diz que tu não voltarás...

Porque não esqueço essa canção?
Será porquê tanto te amei...
Te vejo sob a luz da vela, embaçada, na janela
Pelo pranto que chorei.

Porque não esqueço essa canção,
Se o rio que vai não volta mais.
E esta saudade já doente, dançando em minha mente
Repete: Nunca mais...

La, la, la, la la la la la la...